voltarVoltar

Conheça as principais fraudes em telemedicina e saiba como é possível evitá-las

Felipe Oliveira
Siga no Linkedin

A evolução da tecnologia, somada à pandemia de covid-19, trouxe uma nova realidade para médicos e pacientes no Brasil: a telemedicina. Autorizada pelo governo federal desde abril de 2020, ela chegou para agilizar os atendimentos e quebrar a barreira de localização, já que a consulta pode ser feita de qualquer lugar. 

Isso trouxe aos pacientes mais velocidade, proximidade com o médico e facilidade na hora de escolher o profissional que deseja, já que, com a ampliação da área de atuação, um portfólio gigantesco de especialistas se abriu.

Mesmo agora, com a vacinação avançando e os números da pandemia caindo, as teleconsultas seguem em alta. As pessoas que precisam de tratamentos eletivos voltaram a se consultar presencialmente, mas aqueles que podem fazer a teleconsulta continuam fazendo. Ou seja, a telemedicina é um sucesso!

E, como tudo que começa a atrair muitas pessoas, golpistas passaram a olhar mais para as teleconsultas e enxergaram nelas algumas possibilidades de conseguirem levar vantagens financeiras.

“Quer dizer que nem a telemedicina ficou de fora dos golpes?”, você pode estar pensando. E a resposta é SIM!

Pensando nisso, resolvemos criar esse artigo para mostrar alguns golpes que podem ser aplicados na telemedicina e explicar por que a análise do dispositivo é fundamental para evitá-los – além de melhorar consideravelmente a experiência do paciente que utiliza este serviço tão importante.

Golpe de identidade 

Uma das fraudes que atingem a telemedicina é uma pessoa tentando se passar por outra. Com os recorrentes vazamentos de dados, não é difícil que alguém consiga as informações de um segurado – como CPF, RG e nome completo – e se consultar como se fosse outra pessoa.

Por isso, confiar apenas em dados fixos e na foto da pessoa antes de liberar uma teleconsulta não é tão seguro assim. Uma simples análise do dispositivo pode mostrar que aquele não é o aparelho cadastrado, ou que não se trata da geolocalização de costume daquele usuário.

Fraude de reembolso

Você já precisou de uma especialidade que não encontrou em seu convênio? Pois bem, algumas vezes isso ocorre e, após encontrarmos um médico e realizarmos o pagamento, solicitamos o reembolso junto a nossa operadora.

O que ocorre é que algumas clínicas acabam aplicando golpes se aproveitando dessa situação. A clínica pede seus dados e fica de pedir o reembolso para você – até aí, tudo bem. O problema é que ela supervaloriza o valor da consulta para receber o máximo que o convênio paga.

A análise do dispositivo também é fundamental para identificar esse tipo de golpe, já que ela possibilita verificar que os reembolsos com valor máximo permitido estão sendo realizados sempre a partir do mesmo computador, que está localizado em uma clínica.

Fraude do corretor

Essa fraude é parecida com a anterior, mas é realizada por um golpista que atua como corretor. O fraudador vai dizer ao conveniado que pedirá os devidos reembolsos, mas fará isso solicitando com um valor superior ao cobrado de fato pelo médico, dividindo com a clínica a quantia extra recebida.

Para conseguir solicitar esse reembolso, o golpista reseta a senha dos clientes para poder gerenciar as contas e, a partir disso, fazer as solicitações de reembolso. Para as operadoras esse golpe é bastante nocivo, já que acabam gastando muito mais com reembolso do que deveriam.

A análise do dispositivo também é importante para verificar que esse golpe está acontecendo. Primeiramente porque, no momento da troca de senha, é possível identificar que aquela operação está sendo realizada de um aparelho diferente do que foi cadastrado inicialmente. Em seguida, o efeito rede é capaz de identificar que todas aquelas transações estariam sendo realizadas a partir do mesmo dispositivo, o que ligaria um sinal de alerta.

Você pode até se perguntar: mas o reembolso não é feito na conta bancária dos clientes, já pré-cadastradas? Sim, de fato é isso que ocorre! Contudo, o fraudador acaba convencendo o conveniado de que aquele é o procedimento padrão e solicita para que o valor superior seja repassado para sua conta bancária.

Como o AllowMe atua nesses casos?

Nossa plataforma é capaz de proteger empresas dessas fraudes utilizando o comportamento do usuário. Para isso, realiza uma robusta análise do dispositivo, verificando informações como fabricante e modelo do aparelho, a geolocalização, as redes de wi-fi utilizadas, entre inúmeras outras variáveis.

No caso da telemedicina, isso possibilita uma visibilidade que as operadoras podem não ter e ajuda a responder perguntas como quem resetou a senha, de onde veio o pedido de reembolso, além de verificarmos se os pedidos partem de um computador para várias pessoas ou se a partir de vários computadores.

Assim, se um computador está pedindo, por exemplo, muitos reembolsos, ou se a região que isso está sendo realizada é totalmente diferente daquela pré-cadastrada com o endereço do cliente, ligamos o sinal de alerta e podemos barrar transações fraudulentas.

Contamos ainda com o efeito rede como forte aliado. Com nossa base de mais de 60 milhões de dispositivos cadastrados, se um fraudador já tentou acessar diversas contas por meio daquele mesmo dispositivo em algum de nossos parceiros, o AllowMe vai bloquear imediatamente aquela tentativa de golpe.

E o melhor disso é que a análise do dispositivo é realizada em milissegundos, sendo imperceptível e não impactando a experiência do usuário na plataforma.

Quer saber mais sobre como o AllowMe pode ajudar sua empresa? Preencha este formulário que entraremos em contato!

Artigo escrito por Felipe Oliveira

Felipe Oliveira é jornalista apaixonado por futebol, mas decidiu levar os esportes apenas como lazer depois trabalhar direto da redação em uma edição de Jogos Olímpicos e uma Copa do Mundo. Formado também em Direito, desde 2019 aceitou o desafio de escrever sobre tecnologia e, em 2021, atuar com marketing no mercado de prevenção à fraude e pagamentos digitais. No tempo livre gosta de assistir a jogos de futebol e matar a saudade da infância com canais de YouTube sobre games antigos.

Acompanhe as novidades

icone correio

Assine nossa newsletter

Fique por dentro de todos os conteúdos sobre proteção de identidades digitais gratuitamente