voltarVoltar

PIX: novas regras do BC devem fortalecer segurança contra fraudes

Redação AllowMe
Siga no Linkedin

Desde sua criação, em 2020, o PIX vem ganhando relevância e se tornou um dos meios de pagamento preferidos dos brasileiros. Segundo dados do Banco Central do Brasil, o número de chaves PIX ativas até o final de setembro deste ano ultrapassa a marca de 512 milhões.

O número de transações, que somam mais de dois bilhões, representa um volume financeiro de R $1.021.316.515. A simplicidade e rapidez da transação por PIX são alguns dos principais fatores para essa preferência. E, claro, os fraudadores também se aproveitam dessa modalidade para cometer novos crimes financeiros. 

Leia mais:

Pensando nisso, o Fórum PIX do Banco Central, realizado no último dia 22 de setembro, discutiu e deve anunciar em breve novas regras para a prevenção às fraudes e também vazamento de dados neste sistema. 

Quais serão as novas regras?

Uma das mudanças pretende aumentar o nível de responsabilidade das instituições financeiras em relação às regras de segurança, e diz respeito à criação de um questionário de autoavaliação, que passaria a ser validado por uma auditoria, impondo mais uma barreira na contenção de vazamento de dados. 

Outra mudança significativa diz respeito ao uso de marcações específicas nas notificações de fraudes, com o objetivo de fortalecer os mecanismos antifraude. A orientação será que as instituições marquem, nas notificações obrigatórias de fraudes, os CPFs ou CNPJs em que haja fundada suspeita de uso indevido de contas com etiquetas específicas: conta laranja ou aluguel de conta – uso temporário pelo criminoso mediante pagamento – e falsidade ideológica na abertura do cadastro.

Isso significa dizer que o foco será cada vez mais concentrado na autenticação do usuário. Hoje, as marcações são focadas nas transações, com registro do usuário, conta e chave PIX, por exemplo, sem marcadores específicos.

Como o AllowMe pode ajudar sua instituição financeira?

Com as novas regras do PIX, o nível de segurança deve ser otimizado pelo Banco Central. Devido a agilidade da transação ela acaba despertando a atenção de fraudadores. A ideia dessas mudanças é impor um maior número de barreiras na contenção de vazamentos de dados, protegendo instituições financeiras e usuários.

AllowMe é uma plataforma de prevenção à fraude e proteção de identidades digitais, que ajuda negócios a melhorarem seus resultados financeiros de maneira segura e simples, através de uma solução completa, personalizável e transparente. 

A plataforma AllowMe valida usuários a partir da análise dos dispositivos e do contexto de uso destes aparelhos. A solução também orquestra múltiplos fatores de autenticação, permitindo uma experiência positiva do cliente e oferecendo a proteção adequada às instituições. 

Nossos especialistas em prevenção à fraude direcionam nossos clientes para que eles possam gerenciar e identificar tentativas de fraudes em toda jornada digital do cliente, desde a abertura da conta até a transação financeira, diminuindo a fricção para usuários legítimos e detectando tentativas de fraude.

Quer saber mais?

Acompanhe as novidades

icone correio

Assine nossa newsletter gratuita

Fique por dentro de todos os conteúdos sobre proteção de identidades digitais