voltarVoltar

AllowMe antecipa golpes que podem ser aplicados usando o PIX na Black Friday

Felipe Oliveira
Siga no Linkedin

Uma das grandes novidades na Black Friday de 2021, que ocorre no dia 26 de novembro, é a chegada do PIX como meio de pagamento. Rápido e simples, ele já caiu nas graças do brasileiro, mas também tem sido utilizado por fraudadores para aplicar uma série de golpes. E em uma das datas mais importantes para o e-commerce, não deve ser diferente.

Principalmente porque a Black Friday ocorre em um único dia e com descontos que costumam chamar bastante a atenção do consumidor. A soma desses dois fatores é um prato cheio para golpistas se aproveitarem de algo que está presente durante uma compra: a urgência e a emoção.

Como dito, a Black Friday ocorre em um único dia – apesar de algumas lojas anunciarem um mês de descontos ou até mesmo o final de semana. Por isso, a última sexta-feira de novembro costuma ser uma data bastante aguardada pelos consumidores. Além disso, aposto que você conhece alguém que sempre fala algo como: “vou esperar a Black Friday para comprar isso, deve ter promoção”.

Ou seja, em alguns casos a Black Friday acaba juntando “a fome com a vontade de comer”, como diria o ditado. E com o PIX, tudo fica ainda mais rápido, fazendo com que qualquer desatenção acabe levando a mais uma vítima.

Por isso, ouvimos nossos especialistas em segurança da informação para fazer algumas previsões e antecipar possíveis golpes na Black Friday utilizando o PIX.  Confira:

“Restam poucas unidades”

Esse golpe já é clássico na Black Friday e se aproveita da urgência de compras do consumidor em uma data única. E o PIX acaba resolvendo a necessidade do fraudador em receber o dinheiro e distribuir para terceiros

Imagine que você está muito afim de comprar um aparelho celular e acaba encontrando em uma loja virtual (desconhecida ou não, já que pode se tratar de um site fake, como falamos no artigo anterior) e com um preço extremamente acessível.

Quando o consumidor entrar para ver a oferta, receberá uma mensagem que fica em destaque: “Aproveite a oportunidade, restam apenas duas unidades!”. O consumidor, na emoção, acaba se atrapalhando com aquele senso de urgência e faz a compra o mais rápido possível.

Só que nesse caso, ao invés de fazer com o cartão de crédito e, ao perceber que se trata de uma fraude, tentar reverter a situação, ele terá feito o pagamento via PIX. Certamente aquele dinheiro já foi repassado e o consumidor dificilmente recuperará aquele dano.

“Os fraudadores juntam a urgência e a emoção. Nesse caso, o consumidor sempre tem que pensar: ‘emoção ou a razão?’. O fraudador tem urgência em receber, enquanto o consumidor tem a vontade e a emoção de comprar. Se ele vai no imediatismo, acaba caindo no golpe”, explica Ranier Aquino, analista de segurança de informação do AllowMe.

Desconto maior com pagamento por PIX

Você já foi em alguma loja e se deparou com uma diferença de preços entre o pagamento com cartão, por boleto ou em dinheiro? Provavelmente sua resposta foi sim! E agora, essa prática pode ser aproveitada por estelionatários por conta do PIX.

Para este golpe, os fraudadores se aproveitam da emoção do cliente no momento da compra e colocam aquela pitada de urgência para estimular a compra. Imagine que você recebe uma promoção de um produto eletrônico que quer comprar há algum tempo.

No anúncio, o produto custa R$ 3 mil, sendo que pode ser pago no cartão de crédito em até 12 vezes, mas com juros. No boleto, o valor é o mesmo, mas sem a possibilidade de parcelar. Contudo, você se depara com algo com bastante destaque: no pagamento via PIX, o produto ganha 20% de desconto!

Você, obviamente, se anima e até pensa: “claro, vale a pena para a loja já que o PIX não está atrelado a cobrança de taxas”. Antes de fechar a compra, mais um aviso: “aproveite, só restam três unidades”.

O consumidor então corre para finalizar a compra e fazer o pagamento para não perder aquela oportunidade. E pronto! Você não só não vai receber aquele produto como o dinheiro nunca mais será visto.

Com a chegada do PIX, é possível que golpistas se aproveitem da agilidade no meio de pagamento para aplicar golpes dando grandes descontos.

Desconto acumulado

Outro golpe que acaba pegando consumidores que agem por emoção. Nesse caso, o fraudador cria uma falsa promoção na qual o desconto vai crescendo conforme você vai comprando mais produtos.

Essa é a tal “promoção dos sonhos”, ou seja, quanto mais você compra, mais desconto tem. O golpista coloca, por exemplo, um celular a venda pelo preço de R$ 2 mil, mas inclui no anúncio que ao comprar 5 unidades, o consumidor ganha um desconto de 30% no valor final – desde que o pagamento seja feito com PIX.

Claro, esse tipo de anúncio pode fazer com que várias pessoas se interessem. “Poxa, está chegando o Natal, já vou comprar um aparelho para meu pai, minha irmã, minha tia…”. Outro público que pode ser alvo desse tipo de golpe são aquelas pessoas que compram produtos para revender. Ao se deparar com essa promoção, elas podem pensar na venda futura e acabar sendo atraídas pela farsa dos golpistas.

“Promoções dos sonhos não existem. Em uma loja confiável, você compra um celular ou 10 celulares e os preços deles se mantêm. O preço é esse e acabou. Portanto é sempre muito importante deixar a emoção de lado e pensar com a razão antes da compra na Black Friday”, finaliza Ranier.

Artigo escrito por Felipe Oliveira

Felipe Oliveira é jornalista apaixonado por futebol, mas decidiu levar os esportes apenas como lazer depois trabalhar direto da redação em uma edição de Jogos Olímpicos e uma Copa do Mundo. Formado também em Direito, desde 2019 aceitou o desafio de escrever sobre tecnologia e, em 2021, atuar com marketing no mercado de prevenção à fraude e pagamentos digitais. No tempo livre gosta de assistir a jogos de futebol e matar a saudade da infância com canais de YouTube sobre games antigos.

Acompanhe as novidades

icone correio

Assine nossa newsletter

Fique por dentro de todos os conteúdos sobre proteção de identidades digitais gratuitamente