Abrir uma conta em um banco já foi motivo de bastante dor de cabeça: entrega de documentação, entrevistas com gerentes, entre outros motivos que faziam os clientes até desistirem. O avanço da tecnologia, contudo, deixou tudo mais simples, rápido e fácil.

Na era digital, você nem precisa mais sair de casa para se tornar cliente de um banco. Basta escolher uma instituição financeira, enviar fotos do documento tiradas pelo próprio celular e mais alguns cliques depois a conta já está aberta.

Mas, apesar dessa facilidade ser maravilhosa e trazer muitos benefícios tanto para os bancos como para os clientes, ela também pode ser utilizada por golpistas…

Os vazamentos de dados são cada vez mais completos com nome, RG, CPF, endereço, nome dos pais, certo? E você já parou para pensar que com todos esses dados em mãos um golpista poderia simplesmente criar documentos falsos e conseguir abrir uma conta bancária em seu nome?

 

 

 

 

 

 

Realmente isso é bem assustador! Os criminosos poderiam utilizar essa conta bancária para fazer empréstimos, pedir cartões de crédito ou ainda para lavar o dinheiro vindo de golpes aplicados na internet, por exemplo. Imagine a dor de cabeça que isso poderia causar: de repente chega uma cobrança em sua casa de um empréstimo bancário que você nem ao menos sabe do que se trata!

Mas calma, antes de se desesperar e ir de banco em banco atrás dessa informação, saiba que existe uma maneira de consultar em quais instituições financeiras você tem uma conta aberta – e também sem sair de casa.

O Banco Central (Bacen) possui uma ferramenta chamada Registrato, que permite que qualquer um realize essa consulta on-line. Para isso, basta apenas ter uma conta gov.br e acessar o site!

No local, é possível tirar extratos para consultar informações sobre empréstimos e financiamentos em seu nome, a lista de bancos que você possui conta ou algum tipo de relacionamento, suas chaves PIX cadastradas em bancos, dívidas inscritas em seu nome no Cadin Federal, entre outras informações.

Além do Registrato, outra forma de saber se existem transações bancárias sendo realizadas em seu nome é por meio do sistema de proteção do Serasa – você pode baixar ou pedir para receber o alerta por e-mail (esse serviço tem uma taxa mensal). Como quase todas empresas consultam o Serasa, o sistema de proteção vai avisar se alguém tentou fazer um financiamento ou empréstimo em seu nome.

Fez as consultas aí? Espera, quer dizer que tem uma conta aberta em seu nome?

Calma, vou te explicar o que fazer em casos como esses!

1- O primeiro passo é entrar em contato com o banco ou instituição financeira (pode ser por qualquer canal de atendimento, não necessariamente você precisa ir a uma agência) e informar que não foi você quem abriu aquela conta. Peça o bloqueio imediato!

2- Faça um Boletim de Ocorrência, afinal criminosos podem estar usando seu nome para lavar dinheiro.

3- Faça uma reclamação no Banco Central, que é o órgão que regula os bancos e instituições financeiras. O Bacen informa que não interfere na solução individual de cada caso, mas a reclamação ajuda na fiscalização do sistema financeiro.

Não deixe de realizar um Boletim de Ocorrência, mesmo que o problema seja rapidamente resolvido. “O Boletim de Ocorrência é importante por conta da finalidade que o criminoso pode estar utilizando aquela conta que foi aberta em nome de outra pessoa. Se o fraudador usou para lavagem de dinheiro, a falta do BO pode trazer problemas futuros para aquela pessoa”, explica Fernando Guariento, Head de Professional Services do AllowMe.